Por Ieva Mir

ESTILO BOHO

Mercado, Moda on 27/06/2011 6 comentários
 

Mistura de elementos étnicos + cultura hippie + estética nômade + tempero country ou rocker, e ainda um sutil fundo déco. No estilo boho entram dados geográficos, históricos e culturais em misturas que atravessam temporadas e vão cruzando décadas. Acompanhe no report alguns dos principais pontos para se entender o onipresente visual boho.     

 

Vogue Paris/abr 2011

  

Utilizado como abreviatura do termo “bohemian”, “boho” refere-se originalmente aos andarilhos e refugiados vindos, principalmente, da Europa Central. A palavra tem raiz francesa – “bohémien” – que mais tarde seria sinalizada como cigano ou “gypsy”, no inglês.

Ciganas espanholas, 1917 (National Geographic) | Uma garota cigana espanhola, 1850, pintura de Francis Topham O.W.S.

No início do século 20, o grupo de artistas, escritores, filósofos e intelectuais ingleses Bloomsbury deu ao bohemian um novo significado, ligado ao universo da produção de novos conhecimentos e posicionamentos nas áreas artística, literária, política, entre outras. A dimensão de sua influência nessas áreas pode ser medida através do legado que hoje temos do trabalho de Virgina Woolf, John Maynard Keynes, E. M. Foster e Lytton Strachey. Passadas algumas décadas, a cultural ocidental retomou o interesse pelas referências vindas do Oriente, em clima de paz e amor hippie, que transformou os costumes e a estética. Na Londres dos anos 1960 e 1970, é no bairro Soho que a movimentação acontece, em torno de sexo, drogas e rock’n’roll. Neste ambiente, estilistas como Thea Porter foram os responsáveis por traduzir o hippie das ruas em artigos de butique, muitas vezes com tecidos vindos do Oriente.

A “swinging London” de 1960 com vestidos geométricos e cores pop foi aos poucos invadida pelas linhas fluídas e modelagens leves. A mistura de roupas novas com as de brechó era pauta em revistas como a Vogue, e o esplendor de uma nova era, trouxe as influências dos andarilhos e de uma existência mais ligada à filosofia, à liberdade e às artes. Neste momento, o boho mistura passado e presente na fusão do “bohemian”+ Soho.   

Edição de dez 1960 da Vogue Britânica

 

Para o vestuário, batas leves, amarrações, mangas cheias, pantalonas e vestidos longos são indicados nas revistas especializadas durante a década de 1970. 

Revista com modelos de 1977

30 anos depois, nos primeiros anos do século 21, nomes de peso como Kate Moss e Siena Miller retomaram o boho e se tornaram-se ícones do estilo. No ensaio de 2009, para a revista V, Kate mergulhou nas referências, e passou dias em companhia de um grupo de ciganos para garantir bom resultado no editorial. Esta seria a 2ª onda do boho no século 21. Antes dela, Siena Miller, durante o noivado com Jude Law em 2004, levou o estilo a Vogue, e ainda foi escolhida como a garota do ano.     

V Magazine/edição n° 61 | Siena Miller

A influência setentista, que domina a moda hoje, dá indícios de que o boho retorna tanto para verão como para o inverno. A levada tem tempero étnico, alma de andarilhos e, de pano de fundo, é associada aos valores de bem-estar e contato com a natureza, ingredientes atuais que dão fôlego novo ao estilo.   

Elle Rússia/mar 2011 | Vogue Paris/abr 2011 | Vogue Russia/fev 2011

Nos desfiles do verão 11/12, franjas, formas fluídas, pedras naturais, couro e tons terrosos definem a visualidade do estilo.

Just Cavalli – Milão | Roberto Cavalli – Milão

Detalhes artesanais, tecidos leves, bordados que lembram elementos tribais, cordões e amarrações são outros elementos que retomam a ligação da moda atual com o estilo que já é história.

Emilio Pucci – Milão | Alberta Ferretti – Milão | Gucci – Milão

Leituras rápidas de mercado já podem ser encontradas nas primeiras coleções do verão que ainda estão por chegar no Brasil.

River Island/Verão 2011/12

E as vitrines europeias são invadidas por flores, rendas e planos de algodão, aplicados em volumes leves. 

Massimo Dutti - Barcelona | Dolce & Gabbana - Londres | Pep Llasera - Barcelona

Outras apostas para dar tempero sexy aos desenhos.

P&C - Düsseldorf | Blumarine - Paris | Set - Bread and Butter

Na preparação para o verão brasileiro, os primeiros desfiles do Minas Trend Preview indicam que a leitura nacional está, até o momento, fixada nos clichês do hippie tropical.

Última Hora - Minas Trend | Aurea Prates - Minas Trend | Blue Banana- Minas Trend

Uma breve pesquisa em nomes da época mostra que a onda do boho vai além dos tropicalismos, e tem espaço para brilhos e execuções elaboradas. É aí que entra a sutileza da referência decor. De uma forma ou de outra, esta é tendência certa. 

Blusa e saia de Janice Wainwright, 1970 | Vestido em Seda Devore e Chiffon de Thea Porter, 1970 | Saia cigana Yves Saint Laurent, 1970

 
Eduardo Motta
Fonte: Use Fashion

 

6 comentários para “ESTILO BOHO”

  1. josafa disse:

    Muito legal, parece meio hippie, meio romantico.

  2. cintia disse:

    Agradável leitura, elucidativo, lindas fotos !

  3. Design disse:

    Oi Cintia, Muito obrigado, ficamos felizes que você tenha gostado e sempre temos novidades no blog. Ats, Diagonal Tecidos

  4. ana beatriz de melo disse:

    as roupas são lindas e você me ajudou muito pois preciso saber sobre todos os estilos e não achei em lugar nenhum o estilo boho so no seu site muito obrigada

  5. Miriam Piairo disse:

    Ajudou muito!, pois estou fazendo curso de Design de Interiores residencial e comercial e o trabalho que preciso entregar futuramente é uma pesquisa sobre esse estilo Boho. Porém gostaria de entender melhor o grupo Bloomsbury e o que acontecia naquele momento no mundo e porque as pessoas vinham refugiadas da Europa Central. Vou pesquisar mais.
    Agradeço demais a Diagonal tecidos

    Abraços

  6. Design disse:

    Oi Miriam, tudo bem? Que bom, a intenção é ajudar mesmo com as informações de moda, e se ainda precisar ou quiser mais informações, na revista L´Officiel Brasil de setembro tem um matéria sobre Boho Chic. Obrigado e o que precisar, estamos as ordens.

Deixe seu comentário